Cafeteria de Cuiabá ganha campeonato nacional de torra de café

Gastronomia

Entretê

Uma cafeteria de Cuiabá ganhou um campeonato nacional de torra de café, realizado em Belo Horizonte, Minas Gerais. Fundada em 2018 e pioneira em Mato Grosso, a Amado Grão foi a única cafeteria selecionada no estado. A premiação ocorreu na sexta-feira (12) em Belo Horizonte (MG).

O ‘Desafio de torrefações’ ocorre uma vez ao ano e reúne empresas no país inteiro. A cafeteria mato-grossense foi representada pelo barista Rubens Vuolo Neto e pela mãe dele, Vanessa Vilá de Arruda. Eles fizeram questão de carregar uma bandeira de Cuiabá no momento da premiação.

Se inscreveram 54 cafeterias brasileiras, a maioria do eixo São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba. As torrefações foram pré-selecionadas. A Amado Grão se destaca com a cafeteria, a torrefação e escola de café.

“Foi a minha primeira disputa e também a primeira do Amado Grão. Fomos na final com o blend, que é uma mistura entre os cafés, para enviar para o campeonato. Tínhamos que fazer a mistura, fazer uma embalagem personalizada e fazer a descrição do café”, explicou Rubens ao Leiagora.

A organização do evento selecionou três cafés diferentes: um robusto amazônico, que é de Rondônia. É um café considerado muito particular e forte. E selecionou outros cafés arábicos do eixo Minas e Espírito Santo.

A cafeteria tinha que enviar a embalagem aos jurados do campeonato.

“Eles avaliaram a qualidade do café, a qualidade da embalagem, a criatividade na embalagem e julgaram a descrição na embalagem do café. Ou seja: a gente descrevesse que tinham notas e amêndoas, rapadura, melaço, e os avaliadores profissionais confirmassem, você ganhava ponto por isso”, comentou o barista.

No entanto, a cada sabor apontado errado ou omitido, o risco era perder pontos.

“A ideia era como se fosse apresentar para o consumidor uma ideia real do café. Tínhamos que desenvolver a melhor torra e o melhor equilíbrio entre os três cafés”, disse.

A cafeteria cuiabana ficou com a segunda melhor pontuação do país. Os três maiores pontuadores foram para a final em BH, na Semana Internacional do Café (SIC). O evento reuniu produtores de café, cafeterias e empresas que fornecem equipamentos e máquinas do setor.

A ‘prova final’ foi a produção de um café expresso feito pelas torras de cada cafeteria. Com o tempo contado, Rubens e a mãe entregaram a bebida aos organizadores. Ele fez a execução do café e Vanessa cuidou da separação dos grãos e embalagem.

“Foi o primeiro evento de café que participei e chegar lá com essa conquista foi incrível e maravilhoso”, comemorou Rubens. O barista voltou para casa com um troféu e espera divulgar ainda mais o trabalho com o café.