Brincadeiras simples podem levar a deslocamentos nos membros das crianças

Saúde e Estética

Brincar levantando a criança pelos braços é uma prática muito comum entre os adultos e os pequenos, mas essa brincadeira considerada ingênua pode causar danos sérios de deslocamento dos membros, conhecido ortopedicamente como pronação dolorosa, que é o deslocamento da cabeça do rádio em relação ao ligamento anular na região do cotovelo. A lesão geralmente acontece em crianças, normalmente entre os 12 meses e os 4 anos de idade.

De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, regional Mato Grosso, o médico ortopedista Dr. Vitor Spalatti, a lesão acontece porque, nessa idade, os tecidos cartilaginosos não estão completamente formado, o que permite um maior movimento da cabeça do rádio. 

“Alguns movimentos comuns, como balançar a criança quando estão de mãos dadas, em momentos de recreação, ou mesmo tentar protegê-la de uma possível queda, podem ocasionar o deslocamento, que acontece quando o braço da criança é puxado para cima enquanto está em pronação, ou seja, com a palma da mão apontada para trás”, explica o médico.

Dor no local, mesmo ao fazer pequenos movimentos com o cotovelo, utilizar o outro braço para pegar objetos ou brincar, ou deixar o braço próximo ao corpo, sem movimentá-lo muito, podem ser sintomas da lesão, que deve ser acompanhada por um ortopedista, que poderá fazer o diagnóstico correto, por meio de exames físicos e da história clínica que somente os pais podem fornecer.

“Primeiramente o ortopedista vai avaliar a criança. Afastando possíveis lesões ou fraturas, será realizada uma manobra de redução, sem o uso de anestésico, que coloca a cabeça do rádio no lugar, o que irá cessar a dor e fazer com que os movimentos voltem ao normal. Eventualmente, é necessária utilização de uma tala para imobilizar o local, já que o ligamento pode ser machucado durante a luxação”, destaca ortopedista.

A pronação dolorosa não causa sequelas a longo prazo e um primeiro episódio não predispõem a novos, porém é importante evitar o movimento, pois a recorrência pode ocorrer. O ideal é segurar as crianças próximo ao tronco, evitando a elevação dos braços.

Com assessoria